logo

Seja Bem-Vindo(a)

Utilizamos diversos tipos de terapias energéticas manuais, cursos e palestras visando melhor qualidade de vida para nossos clientes e parceiros.

Segunda à Sexta das 9:00 às 18:00

(41) 4101.7008 | (41) 99687.5938

Rua Brigadeiro Franco, nº 1017 - Centro

Nos siga nas redes sociais

Topo

reflexões Tag

Jardins Espaço Terapêutico / Posts tagged "reflexões"

Ser Mãe

Dia das mães e o ser mãe.    Escrever sobre o dia das mães na época do dia das mães para mim é uma das coisas mais difíceis que existe, não porque o papel da mãe seja difícil, mas pela carga romântica e comercial colocada principalmente em cima desta data.    No meu ponto de vista, no ponto de vista Terapêutico do SINTONIA QUÂNTICA o ser mãe é um dos papéis mais importantes do processo de participação da criação. Dentro do ponto de vista do Sintonia a mãe não é a rainha do lar, aquela que dá a vida pelo filho, aquela que padece no paraíso, isso tudo é muito romântico, falso e piegas.    Para o Sintonia Quântica mãe é a alma, a consciência que tem o...

Os semelhantes ou os opostos se atraem?

Muitas teorias e também o senso comum afirmam com convicção que os opostos se atraem, como se fossem um imã com polos positivo e negativo. Positivo e negativo não tem a ver com conceitos de bem e mal em relação a personalidade, mas com energia de atração, segundo esta ideia. Para afirmar isso temos que levar algumas questões em consideração! O que são opostos? Questão de gênero? Masculino e feminino? Se levarmos em conta que um dos dois gêneros é positivo e o outro negativo e ambos se atraem estaremos entrando num determinismo extremamente odioso. Se mantermos este pensamento estaremos desprezando as questões homoafetivas em que ambos os parceiros são do mesmo gênero. Esta prerrogativa de gênero cai por terra mais uma vez se olharmos questões que estão surgindo atualmente de crianças e adultos que não...

Felicidade

Todas as pessoas, sem sombra de dúvidas, querem ser felizes, mas o que é felicidade, onde ela esta? Na minha infância a felicidade consistia em receber presente no natal ou ir fazer as compras do mês com meus pais e ganhar alguma guloseima, éramos bastante pobres. Na adolescência, no interior de São Paulo, felicidade se tornou poder sair com os amigos e ir a algumas festas nos finais de semana, ter algum amigo que tivesse carro para poder ir à cidade vizinha sair com as meninas de lá. Quando sai da minha cidade de origem e fui para Curitiba, felicidade para mim era poder tomar uma xícara de café com amigos num bar nas noites frias de lá. Depois, descobri que felicidade era ter meu carro, meu apartamento, poder viajar e ter amigos influentes para dividir...